Economia

15/10/2019 | domtotal.com

Temporais deixam 50 mil pessoas desalojadas em Pernambuco e Alagoas

A maioria dos desalojados está em Pernambuco, 44.801 pessoas.

A maioria dos desalojados está em Pernambuco, 44.801 pessoas.
A maioria dos desalojados está em Pernambuco, 44.801 pessoas.

Por Adelson Araújo dos Santos, SJ
Especial para o DomTotal

Cidade do Vaticano – Diferentemente do que os opositores do papa Francisco procuraram espalhar nas redes sociais, de que o Sínodo Especial sobre da Amazônia não estaria bem fundamentado teologicamente, e de que a pessoa de Cristo teria sido esquecida, todos os relatórios finais dos 12 grupos linguísticos que foram lidos na última sessão da segunda semana, mostram a centralidade do anúncio de Jesus, como base inspiradora da missão da Igreja na Pan-Amazônia, como presença profética, encarnada, dialogal e servidora dos povos e comunidades presentes naquela região, defensora da vida e dos direitos dos mais pobres e marginalizados.

Leia também:

Por exemplo, um dos círculos em espanhol afirmou que devemos nos preocupar com a criação, porque, como diz São Paulo, ela segue sofrendo as dores do parto até que venha a manifestação gloriosa de Cristo. Este mesmo grupo concluiu que a conversão ecológica é fruto de uma conversão pessoal, que parte do encontro a Jesus e abarca a estrutura pessoal, social e eclesial. Para esses padres sinodais, a missão da Igreja é fazer discípulos de Jesus Cristo (cf. Mt 28,16-20) e, na Amazônia, precisamos construir uma Igreja de discípulos com rosto amazônico.

Pe. Adelson e Francisco durante o sínodo (Foto: Arquivo Pessoal)Por sua vez, um dos grupos de língua italiana recordou que a Igreja tem a missão de anunciar Jesus Cristo na Amazônia, pois Cristo arma a sua tenda na lá, naquela região. Devemos, por outro lado, procurar criar uma Igreja indígena, de acordo com o princípio de "Salvar a Amazônia com a Amazônia", a partir do Evangelho, que renova continuamente a vida e a cultura, purifica e eleva, fertiliza por dentro, fortalece, completa e restaura em Cristo as qualidades e dons espirituais de cada povo. O círculo italiano defende também que as comunidades locais possam crescer na fé e celebrar o mistério de Cristo em sua pluralidade cultural, com símbolos e gestos das culturas locais, em uma autentica liturgia da Igreja na Amazônia.

Já para os padres sinodais que formaram o segundo grupo de língua italiana, a proclamação do Evangelho e a originalidade da vitória de Cristo sobre a morte é um elemento essencial para a cosmovisão amazônica, respeitando-se a cultura dos povos dessa região. Portanto, sem imposição e por meio da proximidade e partilha de vida, somos chamados a anunciar Jesus Ressuscitado aos povos da Amazônia.

Também os grupos de brasileiros (os de língua portuguesa) destacaram a centralidade da pessoa de Jesus na missão da Igreja na Pan-Amazônia. Um deles afirmou que as comunidades de base são autênticos espaços de educação da fé, comprometida com a vida e a transformação da sociedade, tendo como centralidade a pessoa de Jesus Cristo: “Caminho, verdade e vida, vida em abundância para todos”. Na Amazônia, esse anúncio de Cristo Jesus, fundamento de nossa fé, está sempre ligado à defesa da Casa Comum, da Ecologia Integral, da vida e da luta pelas garantias dos direitos humanos, na floresta, no campo e na cidade.

Para o outro grupo de padres sinodais de língua portuguesa, Jesus, ao se encarnar, assumiu uma determinada cultura e por meio de seu Espírito, continua se revelando nos diferentes povos e culturas, incluindo as populações pan-amazônicas. Esse grupo propõe que a formação dos leigos de nossas comunidades seja pautada na pessoa e na prática de Jesus Cristo.

A importância do encontro pessoal com Jesus na formação dos agentes pastorais e ministros eclesiais foi também ressaltada por outro grupo de padres sinodais vindos do Brasil, que defendeu uma formação integral e não só doutrinal, que leve a uma experiência de um encontro com Jesus Cristo e a uma maior participação na comunidade. E mesmo quando fala da catequese inicial, este grupo propõe que se ofereça um processo de iniciação cristã que leve à pessoa a assemelhar-se cada vez mais a Jesus Cristo,  apropriando-se progressivamente de suas atitudes.

Movidos por estas inspirações cristológicas e ecoteológicas, os padres sinodais, por meio dos 12 grupos linguísticos, ofereceram dezenas de propostas concretas, na linha da Ecologia Integral, em defesa dos povos indígenas e em busca de novos caminhos para a Igreja na Amazônia, concluindo, assim, a segunda semana dos trabalhos do sínodo.

Todo esse material foi, posteriormente, submetido à análise dos peritos, que buscaram dar fundamentação e sincronização às ideais dos padres sinodais, para, depois, o texto ser enviado às mãos do cardeal Cláudio Hummes, que com a sua equipe terá a missão de apresentar uma primeira versão do documento final, a ser submetida à aprovação em plenário pelos padres sinodais, com as eventuais emendas e ajustes que ainda deverão ser feitos, antes do documento definitivo que será entregue ao papa Francisco.


Cobertura especial:


AFP

*Alexis Parrot é diretor de TV, roteirista e jornalista. Escreve sobre televisão às terças-feiras para o Dom Total.

TAGS




Comentários
Newsletter

Você quer receber notícias do domtotal em seu e-mail ou WhatsApp?

* Escolha qual editoria você deseja receber newsletter.

DomTotal é mantido pela EMGE - Escola de Engenharia e Dom Helder - Escola de Direito.

Engenharia Cívil, Ciência da Computação, Direito (Graduação, Mestrado e Doutorado).

Saiba mais!



Outras Notícias

Não há outras notícias com as tags relacionadas.